Saturday, November 15, 2008

Honoris causa e o espírito académico [4]

Quando iniciei aqui, prossegui aqui e aqui a série sobre a atribuição de Doutoramentos Honoris Causa à figuras públicas pelas nossas universidades, não imaginava que a corrida era de velocidade, mas uma maratona. A medida que o número Doutores Honoris Causa cresce vertiginosamente nota-se o quão competitiva e atlética é a corrida. A corrida ultrapassa até as fronteiras nacionais. O Jornal Notícias de hoje danos o testemunho de mais duas doutoradas, uma pela universidade de Évora, em Portugal, e a nossa menina de ouro pela, Faculdade de Ciências de Educação Física e Desportos da Universidade Pedagógica. Em Setembro Mutola obteve o mestrado, agora o Doutoramento, quem sabe o próximo passo da UP será abertura da Cátedra Lurdes Mutola. Mutola já havia manifestado vontade de ser ministra dos desportos, mas como no nosso País ministro é sinónimo de corrupto, melhor mesmo é ser DOUTOR(A) ou Professora Catedrática.

UP distingue Lurdes Mutola

A CONSAGRADA atleta moçambicana Maria de Lurdes Mutola vai receber o título de Doutora Honoris Causa em Ciências do Desporto, em reconhecimento do mérito desportivo conseguido por ela à escala mundial.

Maputo, Sábado, 15 de Novembro de 2008:: Notícias

O título, a ser conferido pela Faculdade de Ciências de Educação Física e Desportos da Universidade Pedagógica, será atribuído na próxima sexta-feira, em Maputo, numa cerimónia a ser presidida pelo Chefe do Estado, Armando Guebuza. A Universidade Pedagógica já havia distinguido Lurdes Mutola, em Setembro de 1993, com o título de Mestre em Desporto.

“Honoris Causa” para Graça Machel

A PRESIDENTE da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), Graça Machel, recebeu ontem o título de Doutora Honoris Causa pela secular Universidade de Évora, de Portugal.

Maputo, Sábado, 15 de Novembro de 2008:: Notícias

A atribuição do grau honorífico a Graça Machel, a mais alta distinção da Universidade de Évora, foi aprovada por unanimidade pelo Senado Universitário e surge “do seu papel social a favor da ampliação e generalização dos direitos humanos, em especial das mulheres e crianças, e da criação de uma sociedade civil internacional”. Graça Machel juntou-se a uma “galeria” de personalidades já agraciadas pela Universidade de Évora, que inclui nomes como José Saramago, Sebastião Salgado, Ximenes Belo, Mário Soares, a Rainha Sofia de Espanha, Cláudio Torres, Rómulo de Carvalho, o músico catalão Jordi Saval e o jornalista e escritor libanês Amin Maalouf.