Friday, February 6, 2009

Desbolonhizar ou Moçambicanizar o curriculo?

Clarificação

Embora tenhas razão no argumento segundo o qual bolonha seria um
assunto europeu, existe também o facto de que todos nós marchamos ao som
da música europeia. desbolonhizar pode ser arriscado
...

De um amigo recebi um email comentando o texto sobre a reforma curricular que publiquei há dias aqui e que faz o primriro plano da Edição de hoje do Jornal Notícias. Bom, a questão colocada pelo meu interlocutor é importante. O artigo que escrevi, no fim, toma partido em relção ao que devemos fazer, sugerindo a ideia de desbolonhizar. Na verdade, tratou-se de uma conclusão e sugestão meio precipitada. A natureza do processo de Bolonha, de Europeização, deixa-nos com pouca margen de manobra. Até países como os EUA e o Brasil que tentam oferecer alguma resistência tendem a ceder em alguns aspectos, nomeadamente no sistema europeu de transferência de créditos. No entanto, a adopção do modelo europeu não está a ser feita de forma mimética, precipitada e por decreto como me parece estar a acontecer o caso de Moçambique. Existe um debate aceso e envolvente sobre o que harmonizar, por ser uma tendência global, e onde Americanizar, no caso do EUA. Nós também não escapamos a isso. No entanto, esse processo podia ser amplamente debatido para que não se torne um processo mecânico , mimético e por decreto. É preciso ainda o exercício fundamental de clarificarmos os termos do próprio debate, o significado do processo e suas implicações . É isso que constitui o aspecto central do meu argumento.

No processo de harmonização a forma do currículo é apenas um aspecto técnico. Dada essa forma, global, coloca-se a questão de saber como vamos adaptá-la aos conteúdos (conhecimentos) que nos são relevantes. Esse debate não está ser feito como referi no artigo. O debate, como refere o Editorial do Notícias, tem de ser mais alargado, envolvendo os demais sectores da sociedade, grupos de interesse e acima de tudo instrutivo. Nesse debate penso que não deviamos nos prender ao falso dilema que se pode colocar com a ideia de bolonhizar ou moçambicanizar o curriculo. Deve haver um meio termo!

2 comments:

amosse macamo said...

“Terá sido a proximidade da realização do mundial de 2010 na vizinha RSA”
Sem querer entrar no fundo dos justos questionamentos que levantas, o mundial 2010 na vizinha, RSA, deve ter sido o mote.
Repare que os dois ministros vinham trabalhando em conjunto para a materialização também conjunta, de projectos sobre o mundial. E acho, que o principal desafio, hoje para o MJD, é o mundial.
Ora, para não descompassar o “passo”, o PR. Deve ter olhado para quem conhecia melhor o dossier e logicamente, o Sumbana, pelos motivos acima.
Só que esta questão traz outros questionamentos: se o MJD tem um vice e se pressupõe que o Vice age em consonância com o Ministro, o que ter¬á ditado a não colocação deste, no lugar do Ministro.
Duas explicações (especulações) me ocorrem: ou pela mania dos nossos dirigentes em agir individualmente em acções conjuntas, ou o PR, tem reservas, em relação ao vice…..
Será?

P.S. acho que houve algum problema na postagem do material, misturaram/se duas matérias, ou não?

freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,