Wednesday, June 20, 2007

Tese de Doutoramento sobre pensamento teológico de Eduardo Mondlane!

Participei, recentemente, a 15 de Junho, numa cerimónia de graduação na Universidade do Cabo (University of Cape Town) onde me encontro a fazer o Doutoramento. No habitual caderno de graduados publicado pela universidade consta o resumo de algumas teses de doutoramento. Chamou-me atenção após a procissão do graduando Robert Neil Faris o título da tese que lhe conferia o grau de doutoramento em estudos religiosos (Religious Studies). A changing paradigm of mission in protestant churches of Mozambique: a case study of Eduardo Mondlane. Traduzido significa: A mudança de paradigma da missão da igreja protestante em Moçambique: O estudo do caso de Eduardo Mondlane.

Hoje é dia vinte de Junho de 2007, data em que se Eduardo Mondlane estivesse vivo completaria 87 anos de idade. Eduardo Mondlane foi Sociologo e Antropologo. Lembram-se! Foi daqueles, como alguns de nós optou pelas ciências [sociais] que não “sabem fazer”, como diz o actual Reitor da maior universidade do país que leva o honroso nome de Mondlane. Mondlane não precisou "saber fazer", no sentido que se nos exige hoje, mas soube acima de tudo pensar na possibilidade existencial de um Moçambique emancipado, e de pensar acima de tudo sociologicamente. Leiam seu livro Lutar por Moçambique, por exemplo, e vejam se saber pensar não é uma maneira, e talvez mais útil, de saber fazer. Em homenagem a Mondlane vou traduzir o resumo da tese de Neil sobre o pensamento teológico de Mondlane como forma de difundi-la. Segundo o autor da tese o pensamento de Mondlane mudou o paradigma da missão dentro das igrejas protestantes de Moçambique.

Robert Faris é um ministro (pastor) da Igreja Presbiteriana no Canada e actualmente Director Executivo do Conselho das Igrejas em Educação Teológica do Canada, baseada em Toronto. Entre 1989 e 1994 foi emissário da Igreja Presbiteriana em Canada para trabalhar com a Igreja Prebiteriana de Moçambique, ensinando no Seminário Ecuménico de Ricatla perto de Maputo em Moçambique de qual a experiência resulta a sua tese.

A tese de Faris retrata a mudança de paradigma da missão dentro das igrejas protestantes de Moçambique e particularmente na Igreja Presbiteriana de Moçambique na medida em que esta caminha rumo a autonomia dentro do contexto do projecto colonial Português. Nesta mudança de paradigma, tanto os Cristãos Moçambicanos como os missionários Suíços foram forçados a redefinir o papel da igreja na luta de libertação em geral, particularmente depois da formação da Frente de Libertação de Moçambique em 1962. Apesar deste ser um estudo histórico e crítico, o enfoque é teológico e muito particularmente missionário (missiological) e emprega os paradigmas da missão identificados por David Bosch.

O principal enfoque do trabalho é um exame da vida e pensamento de Eduardo Mondlane, primeiro presidente da FRELIMO. Mondlane estudou na Africa do Sul, Portugal e nos Estados Unidos na base de bolsas de estudos das Igreja e a sua ligação com a igreja continuou até a sua morte.

Seu pensamento teológico, particularmente seu entendimento do papel da igreja no contexto do colonialismo, desafiou e teve impacto nas comunidades protestantes de Moçambique e do movimento ecuménico global, particularmente no desenvolvimento do programa do Conselho Mundial das Igrejas para o Combate ao Racismo.